FILMES 

A Guerra dos Sexos | Emma Stone vs Steve Carell em um filme essencial

  Poucas foram as vezes em que Emma Stone se mostrou uma atriz versátil, capaz de interpretar outra coisa que não fosse ela mesma, ou uma faceta dela mesma. Entretanto, no novo filme ” Battle of the Sexes“, parece que finalmente podemos eleger a melhor e real interpretação já realizada pela jovem atriz.

  O filme traz um episódio relativamente recente da história americana, no qual o tenista aposentado Bobby Riggs, interpretado por Steve Carell, desafia Billie Jean King, personagem de Emma Stone, em uma partida de tênis. Mas por que uma partida de tênis se tornou tão famosa e rendeu até um filme sobre?

 

Bem, Billie Jean foi uma das responsáveis por conseguirem que as mulheres tenistas finalmente ganhassem a mesma coisa que os homens ganham. Criou uma liga apenas para elas e resolveu pleitear o reconhecimento para ela e suas amigas atletas tal como os homens já possuíam. Riggs, aproveitando a crescente fama das moças, principalmente de Billie Jean, toma a iniciativa de desafiar a oponente, se vendendo como um porco cauvinista que iria provar que as mulheres são melhores na “cama e na cozinha”.

A Batalha dos Sexos é dirigido por Jonathan Dayton e Valerie Faris, dupla que já havia conquistado uma indicação ao Oscar por Pequena Miss Sunshine e que muito provavelmente vai querer levar algumas premiações com essa história. O roteiro de Simon Beaufoy só confirma que ele tem a incrível capacidade de pegar um enredo e realmente contar toda uma história, não importa o ponto de partida.

Não há muito o que se falar de Steve Carell, o ator é um veterano e se sai muito bem na pele de Riggs, o interessante é que por mais que o personagem seja um ser repugnante, barulhento e irritante, principalmente se você for mulher e feminista,  é impossível não simpatizar com ele e com seus dramas que são colocados de forma direta e simples na tela. O ponto alto mesmo é Emma Stone, que está extremamente convincente numa personagem que parece se distanciar demais de sua própria personalidade. Ela interpreta King com a graciosidade e força que esta mulher merece.

O filme pode parecer apenas mais uma história do esporte norte-americano, mas é um filme essencial. Abre muitos questionamentos e debate, principalmente, se levarmos em consideração que o filme se passa na década de 70! Ou seja, nem tão absurdamente longe dos dias de hoje, mas que muitos dos pontos levantados naquela época permanecem até hoje.

Além disso, Guerra dos Sexos não é um drama, ele toca num assunto importante e sério de uma forma cômica e leve, mas eficaz. Creio que a escolha do elenco foi extremamente acertada para que esse elemento cômico funcionasse. O equilíbrio que há entre a participação tanto de Emma quando de Steve é algo que só eleva a qualidade do filme. É importante ressaltar que ambos os atores possuem veia cômica, mas no caso de Emma ela está muito bem contida, entregando um personagem com seriedade e consistência. Será que vem indicação de novo?

A partida conhecida como Guerra dos Sexos foi uma importante bandeira para a luta por igualdade de gêneros e o filme mostra-se também como um símbolo notório da perspectiva feminista e você poderá conferi-lo a partir do dia 19 de outubro de 2017, nos cinemas.

 

Relacionados

Comments are closed.