MANGÁS E HQS RESENHAS 

A Queda do Morcego | Resenha

A Queda do Morcego (Knight Fall), foi o mais longo arco de história já publicada nas revistas do Batman, durou aproximadamente uns 2 anos.
Foi publicado na primeira metade da Década de 1990, foi planejada e escrita em um momento em que a editora de quadrinhos de super-heróis DC Comics, assim como a própria indústria de histórias de quadrinhos passava por grave crise de vendas. Buscando chamar a atenção da mídia e atrair novos leitores, a DC decidiu provocar mudanças drásticas em alguns dos seus principais personagens. Assim, o Superman foi morto, o Lanterna Verde virou um vilão e o Aquaman tornou-se um personagem amargo após ter uma das mãos devorada. Com o Batman, planejou-se deixá-lo paraplégico, preso em uma cadeira de rodas e substituído por um Batman mais moderno e violento.

Após anos seguidos imerso em violência, injustiça, loucura e crueldades, Bruce Wayne começou a apresentar leves sinais de estafa e esgotamento físico e psicológico, os quais foram piorando dramaticamente em pouco tempo, a ponto de nem todo o treinamento psicológico do vigilante conseguir mais mantê-lo em paz, levando a um estado de Estresse físico e mental grave e crescente. Bruce foi obrigado a procurar uma médica, a Dra. Shondra Kinsolving, pela qual logo desenvolveu enorme afeto.
Paralelamente, chegou à cidade de Gotham City o homicida caribenho Bane. Tratava-se de um ambicioso e excelente estrategista, o qual desenvolvera uma fixação por derrotar o lendário “Cavaleiro das Trevas” e tomar a sua cidade, dominando o submundo criminoso. Além de muito forte e ótimo lutador mano a mano, bane tinha ainda suas capacidades físicas muito ampliadas com uso de uma droga anabolizante injetável chamada Veneno. Ao chegar a Gotham, acompanhado de seus três acólitos, o caribenho deduziu que Bruce Wayne era o Homem Morcego, e que o vigilante estava adoecido e enfraquecido. Bane então percebeu que, se simplesmente enfrentasse naquele instante o lendário herói, provavelmente perderia assim como todos os outros que o desafiaram. Em vez disso, resolveu explorar e piorar o máximo possível sua fadiga, enfraquecendo-o ao limite. Para tanto, ele planeja uma fuga em massa do Asilo Arkham, o manicômio que guardava presos alguns dos maiores psicopatas do país, vários, arqui-inimigos do Batman.
Com a fuga, Batman, em um momento frágil e fatigado, se viu obrigado a enfrentar uma sequência de seus piores inimigos como Duas Caras, Charada, Chapeleiro Louco, Espantalho e Coringa entre outros, em pouquíssimo tempo, praticamente sem descansar ou dormir, mas conseguindo detê-los. Após isso, com o Dono da Noite completamente alquebrado e sem forças, Bane enviou seu acólitos e por fim, invadiu a Mansão Wayne. Bruce mal conseguiu se defender, sendo praticamente espancado pelo gigante caribenho até quase a morte. Por fim, Bane, ao invés de simplesmente matá-lo achou mais útil dar uma joelhada violenta em sua Coluna cervical, deixando-o inutilizado e levando seu corpo quase morto até o alto de um prédio no centro de Gotham, onde, na frente da câmeras da TV, jogou o corpo do herói, pra horror dos populares que viram a cena.
Bruce só não morreu pois teve a queda aparada e foi imediatamente resgatado por Alfred Pennyworth e o Robin Tim Drake. Após ficar dias desacordado, Wayne recobrou a consciência sem sentir suas pernas: estava paraplégico. A cidade toda viu seu protetor mascarado derrotado e praticamente morto, e os criminosos provocaram uma onde de violência sem precedentes, aterrorizando a população e acuando a polícia. Bruce entendeu que Batman era um símbolo e que não podia morrer, então decidiu escolher alguém para substituí-lo. Bruce achou que Dick Grayson, primeiro e Robin e atual Asa Noturna, estava passando por sérios problemas pessoais além de ter muitas responsabilidades como líder dos Novos Titãs, e decidiu escolher em seu lugar Jean-Paul Valley, o Azrael, como seu substituto, ordenando que ele não enfrentasse Bane por enquanto.

Relacionados

Comments are closed.