JOGOS 

Análise – Pankapu

“Um jogo para aqueles que curtem uma boa história e que buscam um sentimento de nostalgia, uma vez que é possível perceber elementos de jogos dos anos 90 como Rayman e Earthworm Jim.

 

    Pankapu é um jogo de plataforma com elementos narrativos desenvolvido pelo “Too Kind Studio”, que se considera um estúdio especialista em jogos 2D. E meus amigos, eles não estão errados. O jogo é uma mistura de gêneros, pegando elementos de “graphic novel” e misturando-os com elementos de “action scroller”. Tudo isso enquanto conta uma história dentro de uma história. História dentro de história? Como assim? Aah meus amigos, é aí que a coisa fica sinistra.

    A história principal do jogo gira em torno de Pankapu, que é o personagem controlado durante o gameplay. Porém, essa história se passa dentro de outra história mais abrangente, que é a do garoto Djaha’rell. Já na primeira cutscene, descobrimos que a história de Pankapu é proveniente de um livro , que é lido pelo pai de Djaha’rell em noites em que o mesmo sofre pesadelos. Essa conexão entre das duas histórias é muito bem feita através das cutscenes e da excelente dublagem do jogo, que obtém sucesso em criar aquele sentimento de história contada. Além disso, é super interessante observar como o passado trágico de Djaha’rell influencia a história de Pankapu. Na minha opinião, esse foi um belo toque dos desenvolvedores.

 

Quando ao gameplay, o jogo possui os principais elementos dos melhores “action scrollers” dos anos 90 e ainda propõe algumas melhorias. O sistema de armas e habilidades oferece diferentes formas de completar o mesmo nível e, em certos pontos, o jogador precisa trocar de classe para conseguir progredir no jogo. Outro fator interessante é o jogo incentivar o uso do escudo, de forma que em certos níveis o gameplay varie constantemente entre ataque e defesa.
Mas como nem tudo são flores, o jogo também peca em alguns aspectos, como os inimigos, mas calma-lá, o design de está

3.5 (Bom)

ótimos, o problema é que é possível jogar “ignorando” os inimigos mais básicos, uma vez que não há recompensas ou incentivos para derrotá-los. Outro fator que poderia ser melhor é o decorrer da história, que é ótimo durante as cutscenes, porém peca durante o gameplay.

Tá afim de jogar? Acesse por aqui.

 

 

Relacionados

[gs-fb-comments]