FILMES 

Homem-Aranha: De Volta ao Lar – Crítica

O tão aguardado filme Homem Aranha – De volta ao lar, estreou esta semana. O filme não é perfeito, mas também não é de todo ruim. Achei a escolha do Tom Holland muito acertada, porém o roteiro é fraco. Vi na origem do vilão Abutre – vivido por Michael Keaton– pouca motivação para se tornar mal. Achei também que o Homem Aranha é muito puxa-saco do Homem de Ferro desnecessariamente. E outra: só eu senti falta do sentido Aranha? Enfim, vamos por partes.

spiderman-homecoming-trailer-9
A trama está casada com os acontecimentos de Capitão América – Guerra Civil e achei a introdução do filme muito interessante, um recurso bacana para linkar os dois filmes. Mas, não faz sentido pra mim ele lutar horrores em Guerra Civil e neste filme ele ser tão desastrado e inexperiente. Faria mais sentido se fosse o contrário, não? Enfim… Os destroços da nave alienígena do primeiro Vingadores é o motivo pelo qual o personagem de Michael Keaton se torne Abutre. Ganância de utilizar a tecnologia extraterrestre em armas para vender para bandidos. Tipo, achei tosco. E mais tosco ainda o Homem Aranha ser desastrado por não ter o sentido Aranha, sendo que isso é uma coisa que ele sempre possuiu logo depois de ser picado pela aranha.
A rotina de Peter Parker, o menino doce, nerd e tímido do colégio versus tentar dar o melhor de si para ajudar a todos da vizinhança e ser o melhor amigo dos nova-iorquinos… Isso funciona muito bem. Tom Holland está ótimo no papel e sei que ele se esforçou muito malhando e treinando para tal. Mas o roteiro, analisando mais a fundo, é bem fraco. O que salva é justamente a simpatia que temos por ele. Torcemos por ele, mesmo ele errando. Sofremos com seus dramas adolescentes e até rimos de algumas piadas do filme. Aliás, o melhor amigo dele é mega engraçado. Parabéns a Jacob Batalon!
Uma coisa ruim: reclamaram tanto de em Guerra Civil a Marisa Tomei, nova e sexy, ser a Tia May e, nesse filme, que se passa logo depois de Guerra Civil, está envelhecida. Cara, ela não poderia ter envelhecido tanto em tão pouco tempo. Ficou estranho. Outra é o desespero que o Peter tem de agradar e dar satisfações o tempo todo ao Homem de Ferro. Sei que ele o trata como mentor e tal, mas achei isso caído e, de certa forma, descaracteriza o personagem.
Coisas boas: a roupa nova é um escândalo! A melhor de todas! Com expressões nos olhos e cheias de funcionalidades legais. Inclusive, achei muito maneira a roupa do Abutre também. Não duvido nada ver os mais nerds fazendo cosplay dele na San Diego Comic Con. A participação do Stan Lee, como sempre, foi divertida. A trilha sonora é empolgante. E, os pós-créditos? Bom, vamos lá…
Pra começar, são dois. O primeiro é bem legal e acho que fechou bem a história dessa forma. A segunda? Bom, primeiro eu preciso falar que o Capitão América (Chris Evans) aparece no filme fazendo vídeos educativos para as escolas públicas dos EUA com mensagens motivacionais. E ele meio que faz isso no segundo pós-crédito, mas já falei demais. Fiquem até o fim pra ver e depois me conta o que você achou. Resumindo: o filme é legal e teen, é divertido, mas, poderia ser bem melhor.
Nota: 4/5

Relacionados