A Sombra do Pai | Crítica

Por: Marcelle Souza Gabriela Amaral Almeida é uma das minhas diretoras nacionais preferidas. Muitos dizem que Animal Cordial, de 2018, é seu único trabalho conhecido, porém, se esquecem que, antes disso, ela já havia dirigido outros curtas premiados como A Mão que Afaga e Estátua!. Gabriela é a única que, ultimamente, consegue me tirar de casa para assistir a um filme de terror no cinema e não poderia ser diferente com A Sombra do Pai. O enredo gira em torno da pequena Dalva (Nina Medeiros) que, após a morte de…

Leia mais.