Crítica | Bright é o filme que o David Ayer teve liberdade pra provar que não pode ter

Aquela ideia interessante e o potencial totalmente desperdiçado.

Leia mais.